Município alerta sobre risco de acidentes com animais peçonhentos

Município alerta sobre risco de acidentes com animais peçonhentos
TEXTO: Edson Sill   FOTO: Dorinha Lopes
Melhor maneira de prevenir é manter ambientes limpos

Com o constante desmatamento da região que compreende o trecho entre os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais, acontece um desequilíbrio ecológico. Esse desequilíbrio é um dos fatores que mais favorecem a ocorrência de acidentes com animais peçonhentos, sobretudo em áreas residenciais. Assim explicou o biólogo da Vigilância Sanitária de Porto Real, Flávio Leite, que destacou ainda a necessidade de manter os ambientes limpos a fim de evitar tais situações.

“O Brasil, como um país tropical, possui uma temperatura que favorece a proliferação de animais como aranhas, escorpiões e cobras. Esses animais têm preferência por lugares quentes e úmidos. Por isso, é muito importante manter os ambientes limpos e livres de entulhos e materiais orgânicos. Existem muitos mitos que envolvem os animais peçonhentos. Nem sempre a aparência de um animal define se ele é ou não peçonhento. É muito importante buscar atendimento imediato junto ao hospital, a fim de evitar o óbito, que pode ocorrer em alguns minutos, caso não haja o cuidado imediato”, completou o biólogo.

Conforme orientação da Prefeitura Municipal de Porto Real, cabe aos setores Vigilância Sanitária, Defesa Civil e Guarda Ambiental, o trabalho de resgate desses animais. A coordenadora da Vigilância Sanitária, Cássia Pitasse, relatou que a prevenção é fundamental, pois atualmente há escassez de produção de soro pelos laboratórios de referência: Instituto Vital Brazil (RJ), Instituto Butantã (SP) e Fundação Ezequiel Dias (Funed), em Minas Gerais. “Em recentes vistorias a Anvisa determinou a interdição parcial dos laboratórios que produzem os soros mais utilizados na região, a fim de que realizassem uma melhor adequação às leis em vigor. Isso dificultou  o acesso à parte do tratamento necessário aos pacientes acidentados, pois devido às interdições, a produção de soro foi reduzida”.

 “Em primeiro lugar a pessoa deve acionar um dos setores responsáveis para que o animal seja resgatado de maneira adequada. Esses animais têm um papel muito importante na natureza. O acionamento da equipe especializada evita acidentes e ainda o desequilíbrio ambiental”, esclareceu o fiscal ambiental, Geovane Andrade.

O diretor de Defesa Civil, Leandro Augusto Souza, explicou como é realizado o trabalho. “Temos equipamentos especializados e uma equipe preparada para captura de animais, o que facilita na hora de resgatá-los. Isso é um cuidado necessário para manter todos em segurança”.

 

 

Medidas Preventivas

 

 

Alguns cuidados podem ser tomados para evitar acidentes com animais peçonhentos. São eles: manter terrenos, casas e quintais limpos; vedar frestas de portas, janelas e outros; manter o lixo em local apropriado; evitar acúmulo de entulhos a céu aberto ou em terrenos baldios; verificar objetos que possam servir de moradia para animais peçonhentos; evitar colocar móveis perto da parede (principalmente camas e berços); usar telas em ralos do chão, pias ou tanques e conferir roupas, sapatos, toalhas antes do uso. 

 

Contatos

 

Vigilância Sanitária: (24) 3353-4899

Guarda Ambiental: (24) 3353-1481

Defesa Civil: (24) 3353-3537.

 

Imagens




Siga e compartilhe
nas Redes Sociais